COMPLEXO BLEND DE CRESCIMENTO/FORTALECIMENTO CAPILAR

EXTRATO GLICÓLICO COMPOSTO POR 8 ERVAS: Agrião, avenca, bardana, catuaba, guaraná, jaborandi, marapuama e mutamba.

APLICAÇÃO : Utilizado em formulações capilares para o fortalecimento de cabelos fracos e quebradiços, tonificando os fios e prevenindo a queda. Usado em formulações para o tratamento da caspa, dermatites seborréicas que causam queda dos cabelos, proporcionando balanço, leveza, maciez e brilho aos cabelos. Estimula o crescimento dos cabelos vitalizando o couro cabeludo.

HISTÓRICO

AGRIÃO (INCI: NASTURTIUM OFFICINALE EXTRACT - CAS: 84775- 70-2 )

Originário da Europa, o agrião é uma pequena planta aquática ou semiaquática que se aclimatou bem ao Brasil. Seus caules e folhas frescos são cosmetíveis e possuem cheiro característico e sabor amargo, levemente picante.

AVENCA (INCI: ADIANTUM CAPILLUS VENERIS LEAF EXTRACT – CAS: 84649-72-9)

O nome Adiantum deriva do grego adiantos que significa “que não se molha”, pois as gotas de chuva deslizam sobre as folhas da avenca, sem molhá-las. Suas folhas são chamadas frondes e são grandes e subdivididas em muitos folíolos, de formatos de trapézio e cunha e com as margens recortadas, onduladas ou rendilhadas. São delicadas e exigem umidade, meia sombra e boa drenagem, além disso, não toleram baixas temperaturas. Elas apresentam cerca de 50 cm de altura. No paisagismo, além de interiores podem ser utilizadas em canteiros e jardineiras, valorizando sua textura.

BARDANA (INCI: ARCTIUM LAPPA EXTRACT - CAS: 84012-13-5)

A bardana é uma erva antiga e versátil mais conhecida pela mistura,  e em bebida, de dente-de-leão com bardana. A sua raiz é consumida pelos japoneses como um vegetal pelas fibras dietéticas que contêm. Nativa do norte da Europa, também se encontra bardana na Ásia e na América do Norte. É uma planta bienal com raiz aprumada, comprida e carnuda, folhas grandes cordiformes e flores púrpuras reunidas em capítulos esféricos, lembrando os dos cardos, rodeados por brácteas finas e gancheadas, que se agarram às roupas ou aos animais quando passam.

CATUABA (INCI: TRICHILIA CATIGUA EXTRACT

Árvore vigorosa de tamanho pequeno, a catuaba produz flores amarelas e laranja, dando pequenos frutos ovais de cor amarelo-torrado. Cresce no norte do Brasil, na zona do Amazonas, Pará, Pernambuco, Baía, Maranhão e Alagoas

GUARANÁ (INCI: PAULLINIA CUPANA SEED EXTRACT - CAS: 84929-28-2)

Originário da Amazônia brasileira e venezuelana e Guianas, o Guaraná possui uma casca muito escura; folhas compostas, alternas, grandes,recortadas e com gravinhas; flores brancas e pequenas, em forma de cacho como as davideira. Das sementes é feita a droga vegetal, a qual é descrita nas três primeiras edições da Farmacopéia Brasileira, sendo descrita da seguinte forma em sua 1a edição (1926):“ A semente do guaraná é globulosa ou elipsóide, de 6 a 8 mm de diâmetro, desigualmente convexa dos dois lados, às vezes encimada por um curto apículo, glabra, luzidia, de cor pardo-purpurina ou pardo-negra e apresenta um largo hilo que é guarnecido de um arilo carnoso, membranoso e esbranquiçado, que é retirado na ocasião da dessecação da semente. O embrião, desprovido de albume, possui uma curta radícula ínfera e espessos cotilédones, desiguais, carnosos, firmes e plano-convexos. É uma planta sagrada para os índios. Quando em guerra levavam junto sementes as quais eram mastigadas para aumentar a vitalidade.

JABORANDI (INCI: PILOCARPUS MICROPHYLLUS EXTRACT - CAS: 84604-03-5)

O jaborandi foi primeiramente apresentado à medicina ocidental em 1873, quando o português Symphrônio Coutinho levou a folha prova para a Europa. O que primeiro despertou o interesse dos médicos franceses foi o seu uso entre os índios brasileiros, por causar suor profuso e salivação. Ironicamente, este efeito no sistema nervoso que foi abandonado por tão longo tempo, retornou recentemente ao uso clínico, sendo um poderoso estimulante da salivação e da transpiração (Merck 1989); em 1994 a planta foi aprovada pela Food and Drug Administration (FDA) norte-americana para o tratamento de xerostomia de pós-irradiação (boca seca) em pacientes com câncer de cabeça e de pescoço.

MARAPUAMA (PTYCHOPETALUM OLACOIDES EXTRACT - CAS: 84929-46-4)

A Marapuama, conhecida também como "madeira potente", é uma árvore pequena que chega a 5 m de altura e é nativa da Amazônia. É muito conhecida no Brasil e popularmente empregada como afrodisíaca.

MUTAMBA (INCI: GUAZUMA ULMIFOLIA EXTRACT 

A mutamba é uma árvore ramosa, copada, que vegeta desde o México até o norte do Brasil. Esta planta fornece fibras de elevada qualidade e de largo emprego na cordoaria e para a fabricação de tecidos. Os frutos são cápsulas lenhosas, redondas e negras que contém mucilagens e são comestíveis. Porém, é na entrecasca que encontram-se os princípios ativos com ação terapêutica e cosmética.

 

COMPLEXO BLEND DE CRESCIMENTO/ FORTALECIMENTO CAPILAR 100ml

R$14,90
COMPLEXO BLEND DE CRESCIMENTO/ FORTALECIMENTO CAPILAR 100ml R$14,90
Entregas para o CEP:

Meios de envio

COMPLEXO BLEND DE CRESCIMENTO/FORTALECIMENTO CAPILAR

EXTRATO GLICÓLICO COMPOSTO POR 8 ERVAS: Agrião, avenca, bardana, catuaba, guaraná, jaborandi, marapuama e mutamba.

APLICAÇÃO : Utilizado em formulações capilares para o fortalecimento de cabelos fracos e quebradiços, tonificando os fios e prevenindo a queda. Usado em formulações para o tratamento da caspa, dermatites seborréicas que causam queda dos cabelos, proporcionando balanço, leveza, maciez e brilho aos cabelos. Estimula o crescimento dos cabelos vitalizando o couro cabeludo.

HISTÓRICO

AGRIÃO (INCI: NASTURTIUM OFFICINALE EXTRACT - CAS: 84775- 70-2 )

Originário da Europa, o agrião é uma pequena planta aquática ou semiaquática que se aclimatou bem ao Brasil. Seus caules e folhas frescos são cosmetíveis e possuem cheiro característico e sabor amargo, levemente picante.

AVENCA (INCI: ADIANTUM CAPILLUS VENERIS LEAF EXTRACT – CAS: 84649-72-9)

O nome Adiantum deriva do grego adiantos que significa “que não se molha”, pois as gotas de chuva deslizam sobre as folhas da avenca, sem molhá-las. Suas folhas são chamadas frondes e são grandes e subdivididas em muitos folíolos, de formatos de trapézio e cunha e com as margens recortadas, onduladas ou rendilhadas. São delicadas e exigem umidade, meia sombra e boa drenagem, além disso, não toleram baixas temperaturas. Elas apresentam cerca de 50 cm de altura. No paisagismo, além de interiores podem ser utilizadas em canteiros e jardineiras, valorizando sua textura.

BARDANA (INCI: ARCTIUM LAPPA EXTRACT - CAS: 84012-13-5)

A bardana é uma erva antiga e versátil mais conhecida pela mistura,  e em bebida, de dente-de-leão com bardana. A sua raiz é consumida pelos japoneses como um vegetal pelas fibras dietéticas que contêm. Nativa do norte da Europa, também se encontra bardana na Ásia e na América do Norte. É uma planta bienal com raiz aprumada, comprida e carnuda, folhas grandes cordiformes e flores púrpuras reunidas em capítulos esféricos, lembrando os dos cardos, rodeados por brácteas finas e gancheadas, que se agarram às roupas ou aos animais quando passam.

CATUABA (INCI: TRICHILIA CATIGUA EXTRACT

Árvore vigorosa de tamanho pequeno, a catuaba produz flores amarelas e laranja, dando pequenos frutos ovais de cor amarelo-torrado. Cresce no norte do Brasil, na zona do Amazonas, Pará, Pernambuco, Baía, Maranhão e Alagoas

GUARANÁ (INCI: PAULLINIA CUPANA SEED EXTRACT - CAS: 84929-28-2)

Originário da Amazônia brasileira e venezuelana e Guianas, o Guaraná possui uma casca muito escura; folhas compostas, alternas, grandes,recortadas e com gravinhas; flores brancas e pequenas, em forma de cacho como as davideira. Das sementes é feita a droga vegetal, a qual é descrita nas três primeiras edições da Farmacopéia Brasileira, sendo descrita da seguinte forma em sua 1a edição (1926):“ A semente do guaraná é globulosa ou elipsóide, de 6 a 8 mm de diâmetro, desigualmente convexa dos dois lados, às vezes encimada por um curto apículo, glabra, luzidia, de cor pardo-purpurina ou pardo-negra e apresenta um largo hilo que é guarnecido de um arilo carnoso, membranoso e esbranquiçado, que é retirado na ocasião da dessecação da semente. O embrião, desprovido de albume, possui uma curta radícula ínfera e espessos cotilédones, desiguais, carnosos, firmes e plano-convexos. É uma planta sagrada para os índios. Quando em guerra levavam junto sementes as quais eram mastigadas para aumentar a vitalidade.

JABORANDI (INCI: PILOCARPUS MICROPHYLLUS EXTRACT - CAS: 84604-03-5)

O jaborandi foi primeiramente apresentado à medicina ocidental em 1873, quando o português Symphrônio Coutinho levou a folha prova para a Europa. O que primeiro despertou o interesse dos médicos franceses foi o seu uso entre os índios brasileiros, por causar suor profuso e salivação. Ironicamente, este efeito no sistema nervoso que foi abandonado por tão longo tempo, retornou recentemente ao uso clínico, sendo um poderoso estimulante da salivação e da transpiração (Merck 1989); em 1994 a planta foi aprovada pela Food and Drug Administration (FDA) norte-americana para o tratamento de xerostomia de pós-irradiação (boca seca) em pacientes com câncer de cabeça e de pescoço.

MARAPUAMA (PTYCHOPETALUM OLACOIDES EXTRACT - CAS: 84929-46-4)

A Marapuama, conhecida também como "madeira potente", é uma árvore pequena que chega a 5 m de altura e é nativa da Amazônia. É muito conhecida no Brasil e popularmente empregada como afrodisíaca.

MUTAMBA (INCI: GUAZUMA ULMIFOLIA EXTRACT 

A mutamba é uma árvore ramosa, copada, que vegeta desde o México até o norte do Brasil. Esta planta fornece fibras de elevada qualidade e de largo emprego na cordoaria e para a fabricação de tecidos. Os frutos são cápsulas lenhosas, redondas e negras que contém mucilagens e são comestíveis. Porém, é na entrecasca que encontram-se os princípios ativos com ação terapêutica e cosmética.